Just another WordPress.com site

A seguir apresentamos diversas opções para harmonização de cada um dos chakras. Para utilizar os sons próprios de cada chakra, você poderá fazer o download (gratuito) de músicas para meditação a partir da página Músicas para meditar.

Chakra raiz:
1) Observação do sol nascente ou poente;
2) Sente-se no chão com as pernas cruzadas (ou na posição de lótus) e – de olhos fechados, mentalize a energia do centro da terra subindo por todas as camadas até chegar ao seu chakra raiz (passando pelos pés de pernas). Depois mentalize-a subindo através do canal sushumna até atingir todos os demais chakras;
3) Escute sons da natureza;
4) Sente-se confortavelmente de olhos fechados e mentaize o som da vogal “u”, seguido do mantra LAM;
5) Sente-se confortavelmente e mentalize uma cor vermelho claro e brilhante;
6) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: ágata, hematita, jaspe sanguíneo, granada, coral vermelho ou rubi;
7) Aplique uma pitada de óleo de cedro (ou óleo de cravo) sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área correspondente ao chakra raiz.

Chakra sexual:
1) Observação da luz da lua;
2) Banho de cachoeira;
3) Escute músicas que façam fluir suas emoções (popular, de salão etc);
4) Sente-se confortavelmente e mentalize a vogal “o” fechada (como na palavra boca) e em seguida o mantra VAM;
5) Sente-se confortavelmente e mentalize uma cor laranja ativa;
6) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: cornalina ou ortoclásio (pedra-da-lua);
7) Aplique uma pitada de óleo de Ilag-Ilang ou sândalo sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra sexual.

Chacra umbilical:
1) Caminhar na praia ou no campo em um dia ensolarado;
2) Escute músicas orquestradas com riqueza de sons;
3) Sente-se confortavelmente e mentalize a vogal “o” aberta (como na palavra sol) e em seguida o mantra RAM;
4) Sente-se confortavelmente e mentalize uma cor amarelo claro (amarelo dourado para relaxamento);
5) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: olho-de-tigre ou âmbar;
6) Aplique uma pitada de óleo de lavanda (para o caso de chakra hiperativo) ou óleo de rosmaninho (para o caso de chacra hipoativo) ou óleo de bergamota sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra.

Chakra cardíaco:
1) Caminhadas tranquilas em meio à natureza verde e virgem;
2) Escute música clássica, New Age ou sacras;
3) Sente-se confortavelmente e mentalize a vogal “a” e em seguida o mantra YAM;
4) Sente-se confortavelmente e mentalize a cor rosa e verde claro nas bordas;
5) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: quartzo rosado, kunzita, esmeralda ou jade;
6) Aplique uma pitada de óleo de Rosa sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra.

Chakra laríngeo:
1) Ao ar livre, observe um céu claro e sem nuvens enquanto permanece imóvel, sentado confortavelmente ou deitado;
2) Escute músicas New Age;
3) Sente-se confortavelmente e mentalize a vogal “e” fechada e em seguida o mantra HAM;
4) Sente-se confortavelmente e mentalize a cor azul claro;
5) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: água-marinha ou turquesa;
6) Aplique uma pitada de óleo de Salva sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra.

Chakra frontal:
1) Observe calmamente um céu noturno estrelado;
2) Escute músicas New Age ou clássicas (especialmente as de Bach);
3) Sente-se confortavelmente e mentalize a vogal “i” e em seguida o mantra KSHAM;
4) Sente-se confortavelmente e mentalize uma cor índigo transparente;
5) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: Lápis-Lazúli, safira índigo ou sodalita;
6) Aplique uma pitada de óleo de hortelã ou jasmim sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra.

Chakra coronário:
1) Contemple vastas paisagens de algum lugar alto, onde seja possível vislumbrar o horizonte, o céu e a terra;
2) A música desse chakra é o silêncio;
3) Sente-se confortavelmente e mentalize o som da consoante “m” e em seguida o mantra “OM”;
4) Sente-se confortavelmente e mentalize a cor violeta ou branco;
5) Mantenha junto ao seu corpo ou em sua casa uma das seguintes pedras: ametista ou cristal de rocha;
6) Aplique uma pitada de óleo de Olíbano ou de Lótus sobre cada um dos pés, sobre as mãos e na área próxima ao chakra.

Caso seja do seu interesse aprofundar seus conhecimentos sobre mantras, visite a página Meditação e baixe o arquivo completo sobre o assunto.

Dica para limpeza de pequenos ambientes: a planta guiné absorve fluidos negativos. Manter um vaso com essa planta dentro de casa ajuda a manter o ambiente limpo dessas energias mais densas.

Advertisements

Sexualidade e Chakras

Há duas formas básicas e primárias de energia no universo: Yin e Yang. Tudo que existe tem um polo contrário: inspiração e expiração, saúde e doença, nascimento e morte, masculino e feminino etc. Essas duas forças estão sempre interagindo entre si e, dessa forma, tudo no universo está em constante movimento.

Além disso, cada um desses polos carrega em si mesmo o seu oposto (observe a esfera branca dentro da área preta) em forma de semente e é somente uma questão de tempo que um polo Yin se transforme em um polo Yang e vice-versa. No ser humano, essa mudança de polaridade geralmente leva várias encarnações.

Yin - Yang

Yin - Yang

Assim, no plano físico, essas forças manifestam-se como sexualidade. O homem e a mulher representam polos opostos. Já vimos anteriormente que o sentido de rotação de cada chakra é invertido no homem em relação à mulher. Se um chakra gira para a direita no homem, na mulher, ele gira para a esquerda. Na homossexualidade, observamos uma rotação dos chakras invertida. Dessa rotação invertida dos chakras surge a atração entre os sexos.

Durante uma união sexual, o nível de energia que flui através do chakra sexual (genésico) aumenta consideravelmente. Isso provoca um aumento proporcional na quantidade de energia que flui através do canal principal (sushumna), localizado na coluna vertebral. Essa energia sexual (uma forma de prana) carrega os demais chakras, fluindo através dos nádis e é distribuída a todos os corpos, inclusive o físico. Com isso, ambos os parceiros sentem-se revigorados e relaxados, uma espécie de satisfação que independe de circunstâncias externas.

Entretanto, essa união é severamente prejudicada quando pelo menos um dos chakras está bloqueado em um dos parceiros. Isso pode reduzir a experiência da união sexual ao nível do segundo chakra e experimentar a sexualidade tão somente através do chakra genésico provoca um enfraquecimento energético tanto no homem quanto na mulher. Nesses casos o consumo de energia durante a prática sexual é muito elevado, visto que é drenada muita energia de todos os demais chakras.

Mas há uma forma de desbloquear os chakras que impedem a união sexual plena. Para isso é necessário que os dois parceiros irradiem e troquem as energias emanadas do chakra do coração (cardíaco). Essa irradiação ocorre naturalmente quando há amor entre os parceiros. Dessa forma, os bloqueios são dissolvidos e a união sexual pode atingir até mesmo o nível de uma união espiritual, que consiste na arte do tantra.

Quem vivencia uma experiência dessa natureza compreende que as forças sexuais não estão cingidas aos órgãos genitais, mas estão presentes em cada uma de nossas células.

Fonte: Espiritualidade

Introdução
Não há juízo de valor no texto a seguir e não há qualquer intenção em ferir suscetibilidades, entretanto o reconhecimento de si mesmo é essencial no processo de expansão da consciência e do autoconhecimento.
Não é necessário que o leitor se identifique com todos os sintomas apresentados em cada tópico e é importante considerar que qualquer desarmonia não é absoluta, mas está sujeita a gradações.

Sintomas de bloqueio do chakra raiz
a) Diarreia;
b) problemas relacionados com as partes duras do corpo (ossos, dentes, coluna vertebral);
c) desequilíbrios relacionados com os intestinos, com a próstata, com o sangue, com o ânus e com o reto.
d) Pouca resistência física e psíquica;
e) Preocupação excessiva;
f) Insegurança;
g) Dificuldade para lidar com as exigências da vida;
h) Anseio constante por uma vida mais agradável e menos exigente.
i) Utilização constante de mecanismos de defesa (negação, minimização, racionalização etc)

Com o desenvolvimento unilateral dos chakras superiores, pode ocorrer uma sensação de não pertencer a esse mundo. Se o chakra umbilical também estiver bloqueado, pode desencadear uma tendência a fugir dos problemas e não enfrenta-los.

Sintomas de hiperfuncionamento do chacra raiz
a) Irritabilidade e agressividade;
b) Pensamentos centrados em bens materiais, segurança, prazeres dos sentidos;
c) Inconsequência;
d) Isolamento;
e) Apego excessivo;
f) Prisão de ventre;
g) Obesidade;
h) Ambição desmedida;
i) Acessos de fúria;
j) Imposição de ideias e desejos.
k) Utilização constante de mecanismos de defesa (negação, minimização, racionalização etc)

Sintomas de bloqueio do chakra genésico
a) Bloqueio de sentimentos em situações de grande tensão;
b) Bloqueio da energia sexual (criativa);
c) Autodesvalorização;
d) Problemas físicos na área dos quadris, nos órgãos sexuais, rins, bexiga
e) Problemas relacionados com urina, sangue, linfa, sucos digestivos e esperma.

Sintomas de hiperfuncionamento do chakra genésico
a) Uso da sexualidade como uma droga que vicia (compulsão sexual);
b) Desvio (desperdício) da energia criativa;
c) Incertezas e tensões em relação ao sexo oposto (ciúmes);
d) Sensualidade grosseira.
e) Emoções descontroladas, reações exageradas;
f) Problemas físicos na área dos quadris, nos órgãos sexuais, rins, bexiga
g) Problemas relacionados com urina, sangue, linfa, sucos digestivos e esperma.

Sintomas de bloqueio do chacra umbilical
a) Falta de energia, nervosismo;
b) Problemas físicos relacionados com a parte inferior das costas, com a cavidade abdominal, pâncreas, sistema digestivo, estômago, fígado, baço, vesícula biliar e sistema nervoso vegetativo;
c) Abatimento, desânimo;
d) Vê obstáculos em tudo;
e) Paranoia;
f) Descontrole;
g) Distração;
h) Tendência à fuga de novos desafios.

Sintomas de hiperfuncionamento do chakra umbilical
a) Problemas físicos relacionados com a parte inferior das costas, com a cavidade abdominal, pâncreas, sistema digestivo, estômago, fígado, baço, vesícula biliar e sistema nervoso vegetativo;
b) Tentativa de controle de pessoas e situações;
c) Insatisfação, vazio;
d) Ausência de serenidade interior;
e) Irritabilidade.

Sintomas de bloqueio do chakra cardíaco
a) Problemas relacionados com o coração, com a parte superior das costas, com o peito e a cavidade torácica, pulmões, pele, sangue e circulação sanguínea;
b) Vulnerabilidade e dependência emocional;
c) Hipersensibilidade;
d) Dificuldade para lidar com frustrações;
e) Dificuldade excessiva de lidar com rejeições;
f) Comportamento agradador;
g) Dificuldade de estabelecer intimidade;
h) Frieza, indiferença;
i) Brutalidade;
j) Depressão.

Sintomas de hiperfuncionamento do chakra cardíaco
a) Dedicação com expectativa de ganho (geralmente psicológico);
b) Desilusão constante (em decorrência do sintoma descrito em “b”);
c) Tentativa de passar a imagem de alguém forte e que não precisa de amor e cuidados para ocultar a própria fraqueza e o medo de ser rejeitado;
d) Problemas relacionados com o coração, com a parte superior das costas, com o peito e a cavidade torácica, pulmões, pele, sangue e circulação sanguínea;

Sintomas de bloqueio do chakra laríngeo
a) “garganta apertada”, “nó na garganta”, gagueira;
b) Problemas físicos relacionados à garganta, nuca, queixo, ouvidos;
c) Problemas físicos relacionados à voz, traqueia, região pulmonar, esôfago e braços.
d) Linguajar chulo;
e) Excesso de racionalismo e objetividade (frieza ao falar);
f) Tendência a falar alto;
g) Utilização da linguagem para controlar as pessoas;
h) Dificuldade de se mostrar;
i) Timidez, superficialidade;
j) Medo da opinião alheia;
k) Rigidez;
l) Dificuldade para saber o que quer;

Sintomas de hiperfuncionamento do chakra laríngeo
a) Tentativa de controle através da palavra e da argumentação;
b) Linguajar chulo;
c) Excesso de racionalismo e objetividade (frieza ao falar);
d) Tendência a falar alto;
e) Utilização da linguagem para controlar as pessoas;
f) Culpa e medo;
g) Utilização da intelectualização como mecanismo de defesa;
h) Ações imponderadas.

Sintomas de bloqueio do chakra frontal
a) Dificuldade de raciocínio, dificuldade para pensar com clareza
b) Problemas físicos relacionados com o rosto, olhos, ouvidos, nariz e cavidades adjacentes;
c) Problemas físicos relacionados ao cerebelo e ao sistema nervoso central;
d) Rigidez mental;
e) Vida limitada a desejos materiais e necessidades físicas;
f) Aversão à espiritualidade;
g) Falha de memória;
h) Confusão mental.

Sintomas de hiperfuncionamento do chakra frontal
a) Dores de cabeça;
b) Vive em função do intelecto (geralmente muito desenvolvido) e da razão;
c) Arrogância intelectual;
d) Entende a espiritualidade como contrária à ciência;
e) Tentativa de controle das pessoas pelo poder mental;
f) Problemas físicos relacionados com o rosto, olhos, ouvidos, nariz e cavidades adjacentes;
g) Problemas físicos relacionados ao cerebelo e ao sistema nervoso central;

Sintomas de bloqueio do chakra coronário
a) Medo da morte e tentativa de provar que é insubstituível;
b) Fuga através de hiperatividade;
c) Geralmente atrai doenças para frear a hiperatividade a fim de poder olhar para si mesmo do ponto de vista espiritual.

No próximo artigo veremos como podemos remover os bloqueios de cada chakra. Leia mais em Meditação.

Removendo bloqueios

A fim de remover bloqueios dos chakras, devemos harmonizá-los com vibrações em frequências próximas às suas próprias. Isso pode ser atingido através da cromoterapia, da aromoterapia ou os expondo a elementos encontrados na própria natureza, mas aprenderemos essas terapias mais adiante em nosso estudo.
Assim que as vibrações que causam os bloqueios são liberadas, seu conteúdo passa para nossa consciência.

Dessa forma, esse não é um processo indolor, visto que entraremos em contato com conteúdos reprimidos pela consciência. Isso poderá nos deixar irascíveis, inquietos e cansados. Além disso, para uma completa limpeza, muitas vezes é necessário que passemos uma última vez por alguma doença física.

Então, em seguida, devemos lidar com esses aspectos reprimidos de nós mesmos. A postura adequada nessa fase é o relaxamento de todas as tensões, que é uma postura de autoaceitação. Uma técnica muito eficiente para treinar a mente a aceitar esses conteúdos reprimidos e vivenciá-los integralmente é a meditação, especialmente a meditação transcendental (ou MT). A MT é tão eficiente que contribui efetivamente com o próprio desbloqueio dos chakras afetados.

Como se proteger de forças psíquicas negativas

Quando nos amamos e nos aceitamos inteiramente, irradiamos vibrações congêneres através de nossa aura. Dessa forma, atraímos experiências, pessoas e situações correspondentes também. Entretanto, durante o processo de limpeza dos chakras não é isso o que acontece. Ainda estaremos sensíveis a energias negativas, sem que tenhamos qualquer defesa natural contra elas. Isso se dá porque ainda estaremos atraindo vibrações e situações correspondentes à nossa própria irradiação de energia, que não está purificada.

Quando o campo energético de duas pessoas se tocam, há uma mútua assimilação de energias. Assim, a aura da outra pessoa interfere em nossas emoções e sentimentos e vice-versa (aprenda também o que são formas pensamento e egrégoras em Teosofia).

Por outro lado, podemos aproveitar esse intercâmbio natural de energias em nosso próprio benefício:

1) Organizar reuniões de estudo espiritualista (a interação com a aura coletiva que se forma exerce poderosa influência em cada participante);

2) Organizar um grupo de meditação (o nível de consciência atingido quando se medita em grupo é potencializado);

3) Frequentar lugares com irradiação própria e benéfica (a matéria armazena vibrações);

4) Cultivar bons hábitos mentais como o de ser grato (desenvolver um hábito diário de agradecer);

5) Cuidar do ambiente doméstico tornando-o agradável (cores, flores, música relaxante, selecionar programas de TV com temas que promovam elevação moral etc);

6) Procurar conscientemente aspectos positivos nas pessoas que nos rodeiam;

7) Mentalize uma luz branca entrando pelo seu chakra coronário e em seguida deixe-a sair (através da imaginação) pelo chakra umbilical, envolvendo todo o seu corpo num manto de luz;

8) Mentalize uma vigorosa irradiação de luz branca do plexo solar. Essa é uma proteção muito eficiente;

9) Aplique óleos aromáticos diretamente sobre os chakras a fim de completar a irradiação ainda deficiente dos chakras e de filtrar influências negativas que penetram em sua aura;

10) Carregue junto ao seu corpo um cristal de rocha.

Quando o processo de limpeza dos chacras estiver suficientemente adiantado, as energias negativas do ambiente e das pessoas não poderão penetrar na coroa de raios que se forma à nossa volta. Mesmo sem a inteção de nos proteger, as vibrações negativas do meio não encontrarão ressonância em nós e não serão capazes de produzir qualquer influência negativa.

No próximo artigo aprenderemos a identificar os chakras com bloqueios.

(continua)

Meditação e chakras (2)

No ser humano encontramos cerca de 88 mil chakras. Isso mesmo. Logo, no ser humano quase todos os pontos do corpo possuem algum vórtice de energia (chakra). Já dissemos anteriormente que os chakras são centros de recepção, distribuição e transformação de energia, entretanto a maior parte desses órgãos são muito pequenos e têm uma função secundária no sistema. Os mais importantes situam-se nas regiões das mãos, na sola dos pés, na nuca e no baço. Já os sete principais estão alinhados em um eixo vertical e são encontrados na parte dianteira do tronco. De cima para baixo, são eles: sacro, básico ou raiz, genésico ou sexual, umbilical, cardíaco, laríngeo, frontal (terceira visão) e coronário.
Cada chakra tem a forma de um cálice de flor afunilado com uma quantidade diferente de pétalas. A cada pétala está associado um canal de energia (nádis). O número de nádis varia de 4 (quatro) a cerca de mil. Da base de cada flor sai um outro canal que se liga à coluna vertebral, onde está localizado o canal mais importante, que é o sushumna. O sushumna sobe pelo interior da coluna vertebral até o chakra coronário.

Além disso, cada chackra ou roda gira em alta velocidade. Quando gira para a direita (Yang) a energia é irradiada para fora do chackra, quando, ao contrário, gira para a esquerda (Yin) atrai a energia para dentro do chakra. O sentido da rotação, muda de um chackra para outro, isto é, enquanto o chakra básico gira para a direita (no homem), o chacra umbilical gira para a esquerda e assim sucessivamente. Na mulher o sentido da rotação de cada chakra é invertido em relação àquele encontrado no homem.
A rotação dos chakras afeta diretamente nossa maneira de ser. Por exemplo, na mulher, o chakra umbilical gira para a direita (Yang) e, por isso, as mulheres têm uma natural tendência à expressão das emoções, enquanto que os homens tendem a ser mais passivos e receptivos em relação a elas.
Além disso, o tamanho e a vibração de cada vórtice (chakra) afeta diretamente a qualidade e a quantidade da energia que flui através dele. Cada chakra pode absorver energia proveniente do Cosmos, das estrelas, das plantas, de outros seres humanos etc. Mas as vibrações mais importantes são assimiladas pelos chakras básico e coronário (já sabemos que entre esses dois chakras corre o sushumna).

chakras

Chakras: visão lateral

A kundalini é a energia cósmica criadora (shakti) e sua porta de entrada é o chakra raiz. Na maioria das pessoas flui moderadamente através do sushumna. Entretanto, com o aumento do desenvolvimento consciente (expansão da consciência), sobe num fluxo crescente e ativa os diversos chakras pelo seu caminho, levando-os ao máximo desenvolvimento.
Além da kundalini, uma outra força – a energia do ser puro – flui a partir do chakra coronário para baixo através do sushumna e dissolve bloqueios nos demais chakras. Na doutrina hindu, essa energia é denominada Shiva, a divindade que aniquila a ignorância. Assim, Shiva e Shakti são as principais energias que atuam em prol do desenvolvimento do ser humano.

Ida e Pingala

Além do sushumna existem dois outros canais bastante importantes. O primeiro é o Pingala, que funciona como um condutor da energia solar, estimulante. Esse canal começa no lado direito do chakra básico e termina na parte superior da narina direita. O Ida conduz a energia lunar, tranquilizadora. O Ida começa no lado esquerdo do chakra raiz e termina na parte superior da narina esquerda. Ambos têm a capacidade de captar o prana diretamente da respiração e de expelir as impurezas tóxicas durante a exalação.
Para concluir esse artigo, lembramos que os chakras também irradiam energias no meio ambiente, alterando toda a atmosfera que nos circunda. Através deles, podemos irradiar vibrações diversas, influenciar pessoas, situações e mesmo a matéria, tanto negativamente, quanto positivamente.

caduceu de Hermes

Mais informações: Comunidade espiritualista RccG: Espiritualidade

(continua).

Na série de artigos a seguir, vamos explicar em linhas gerias a complexa constituição de energias sem a qual o corpo físico não poderia existir.

Nessa complexa constituição do ser humano, podemos destacar três grupos principais:

1)      Os diversos corpos;

2)      Os chackras ou centros de energia;

3)      Os nádis ou canais de energia.

Nádi, em sânscrito, significa tubo, vaso ou veia, e têm a finalidade de conduzir o prana ou energia vital ao longo de todo o sistema.

Mas o que é prana? Certo, energia vital. Mas de onde ela vem? O prana é uma das três emanações do Logos Solar. As três emanações solares são prana, fohat e kundalini. Em química oculta, estudamos que o prana provoca uma espécie de reação química na atmosfera da Terra, atuando sobre uma partícula chamada átomo último. Esse elemento se combina com outros sete átomos últimos, formando uma molécula de glóbulo de vitalidade. São os glóbulos de vitalidade que são absorvidos pelo chakra esplênico (localizado na altura do baço) e distribuídos por todo o sistema. Algumas fontes consideram que o prana é diretamente absorvido pelo chakra umbilical (localizado na altura do umbigo) e pela respiração.

Os nádis interligam os diversos corpos do Homem. Em alguns textos hindus e tibetanos encontramos referência a cerca de 72.000 nádis. Em outros, esse número chega a 350.000. Entre os chineses e japoneses, esses canais identificam-se com os meridianos, conhecimento a partir do qual se desenvolveu a acupuntura.

Como dissemos acima, os nádis, interligam os diversos corpos. Mas que corpos são esses?

Segundo o cânone budista, o ser humano é a soma (é formado por) de cinco elementos ou skandhas, que são:

1)      Rupa (corporeidade);

2)      Vedana (sensação);

3)      Sñña (percepção);

4)      Sankhara (volições);

5)      Viññaña (conhecimento por meio de cada faculdade sensorial).

Já a doutrina oculta descreve o ser humano como sendo constituído por sete elementos ou princípios. No glossário teosófico, a palavra skandhas significa faces ou grupo de atributos, que são:

1)      Forma (rupa);

2)      Percepção (vedana);

3)      Consciência (sañajña);

4)      Ação (sankara);

5)      Conhecimento (vidyana).

Os skandhas juntam-se ao nascimento do Homem e constituem sua personalidade. Depois da morte, formam a base de uma nova encarnação kármica. Também, cada vibração que produzimos é um skandha. Os skandhas são pensamentos encarnados e permanecem cristalizados na Luz Astral, sendo atraídos à vida que os originou. Aí há uma polêmica: o budismo canônico afirma que no ser humano não há NADA de permanente ou substancial. Dessa forma, para os budista o Ego não reencarna.

Mas esse é um assunto bastante complexo e o deixaremos de lado, por enquanto. O importante aqui é entender que em nossa constituição encontramos diversos corpos que se interpenetram e se comunicam entre si através dos nádis.

E os chakras? Os chakras atuam como estações receptoras, transformadoras e distribuidoras das diversas frequências do prana. Sim, o prana se manifesta em diversas frequências. De acordo com o nível de consciência de cada ser, uma faixa de frequência específica pode ser captada, distribuída e armazenada.

Para maiores informações sobre os diversos corpos e sobre o plano astral, acesse http://www.rccg.biz/MensEsp/teosofia.htm

This slideshow requires JavaScript.


(continua…)